Quem é Maria l O Rosário l Aparições l Novenas l Orações l Devoção do Mês l Artigos l Imagens l Links l Home


Devoção do Mês
_____________________________________________________________________________
Coroa de Nossa Senhora das Dores

 

A Coroa de Nossa Senhora das Dores teve início na Itália em 1617, por iniciativa da Ordem dos Servos de Maria, assim como a Missa de Nossa Senhora das Dores, que hoje é celebrada em toda a Igreja no dia 15 de setembro.

A Coroa é um dos frutos do carisma mariano da Ordem, cultivado desde 1233, ano de sua fundação.

A Coroa surgiu inicialmente como alimento da piedade mariana dos leigos reunidos em grupos chamados Ordem Terceira.

A Coroa das Dores teve sempre a aprovação dos Papas.

Oração Inicial

Virgem Doloríssima, seríamos ingratos se não nos esforçássemos em promover a memória e o culto de vossas Dores. Vosso Divino Filho tem vinculado à devoção de vossas Dores, particulares graças para uma sincera penitência, oportunos auxílios e socorros em todas as necessidades e perigos.
Alcançai-nos, Senhora, de Vosso Divino Filho pelos méritos de vossas Dores e Lágrimas, a graça...

como o terço inicia-se esta coroa com o “Creio em Deus Pai” – Pai Nosso – três Ave Maria – e após cada mistério reza-se um Pai Nosso e sete Ave Maria

1º Mistério - Contemplamos a dor que sentiu Maria Santíssima, quando uma espada de Dor trapassou sua alma.
Conforme a profecia do velho Simão no templo. (Lc. 2, 34)

2º Mistério - Contemplamos a dor que sentiu Maria Santíssima, quando fugiu para o Egito, conduzindo seu Filho recém-nascido. (Mt 2, 13)

3º Mistério - Contemplamos a dor que sentiu Maria Santíssima, quando perdeu seu Divino Filho no templo por 3 dias. (Lc 2, 42)

4º Mistério - Contemplamos a dor que sentiu Maria Santíssima, quando encontrou seu Filho Jesus com a pesada cruz às costas. (Rt 1, 20)

5º Mistério - Contemplamos a dor que sentiu Maria Santíssima, quando estava ao pé da Santa Cruz. E Jesus, vendo sua Mãe e perto dela o discípulo, disse à sua Mãe: “Mulher, eis aí teu filho!” Em seguida, disse ao discípulo: “Eis aí tua Mãe!” (Jô 19, 25)

6º Mistério - Contemplamos a dor que sentiu Maria Santíssima, quando desceram seu Divino Filho morto na Cruz e o depositaram em seus braços. (Zac 12, 10b)

7º Mistério - Contemplamos a dor que sentiu Maria Santíssima, quando depositaram seu Filho Jesus no sepulcro, ficando Ela em triste soledade. (Lam 2, 13)

Oração Final
Daí-nos, Senhora, a graça de compreender o oceano de angústias que fizeram de Vós a “MÃE DAS DORES”, para que possamos participar de vossos sofrimentos e Vos consolemos pelo nosso amor e nossa fidelidade.
Choramos convosco, ó Rainha dos Mártires, na esperança de ter a felicidade, de um dia nos alegramos convosco no Céu.
Amém.

 


®2005 - Todos os direitos reservados l Desenvolvido por Karina Melo